empresa legislaÇÃo informativos facebook portugues espanhol inglês
licks & machado
 

legislao
Compra de imóveis em Portugal pode garantir visto de permanência.

 

 

APEMIP prepara sistema para vender imóveis da banca

A Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) vai lançar um sistema para vender imóveis da banca através de empresas imobiliárias, disse hoje à Lusa o presidente da associação, Luís Lima.



"Até fim do ano vamos lançar o MLS, que é uma maneira de fomentar transações através das imobiliárias", disse Lima, acrescentando que durante o Salão Imobiliário de Portugal (que se concluiu hoje) fechou um acordo com a Caixa Geral de Depósitos para integrar este sistema. O presidente da APEMIP conta "até ao fim do ano" cativar o resto do setor financeiro.

"É um sistema interno que facilita o acesso das empresas [imobiliárias] aos imóveis do setor financeiro", afirma Lima.

Com o MLS (sigla em inglês de "multiple listing systems"), os bancos "vão passar a ter um meio de vender os seus imóveis em três mil e tal empresas no país todo.

"Será bom para os consumidores, porque muita gente pergunta pelos imóveis da banca", acrescenta o presidente da APEMIP.

"Também será bom para as imobiliárias e para o setor financeira, que não terá de recorrer a outros meios que podem ser perigosos" para se desfazer dos seus imóveis, como "vendas de saldos forçados, `low cost`, que descredibilizam o valor dos imóveis", conclui Luís Lima.

"Imobiliário é exportação"

O imobiliário também pode contribuir para as exportações e o mercado externo pode ser a "escapatória" para as empresas do setor, referiu ainda o responsável.

“Imobiliário é exportação. Quando cativamos investimento estrangeiro para investir em imobiliário, isso é exportação”, disse à Lusa Luís Lima.

“E das exportações mais saudáveis. Quem compra casa em Portugal, para residir cá, depois vai consumir. E é alguém que investe a longo prazo”, referiu

Lima disse à Lusa que o Salão Imobiliário de Portugal, que hoje terminou em Lisboa, deixou claro que a internacionalização “será o caminho” para um setor em crise: “Não temos muitas escapatórias. Não sendo internacionalização, só há o arrendamento ou a reabilitação.”

Nesse sentido, Lima destaca que entrou em vigor este mês uma alteração à lei de imigração, segundo a qual um investidor que compre um imóvel em Portugal por mais de 500 mil euros tem direito a visto de residência.

“Acho que com medidas dessas é que se cativam investidores”, defendeu.

Lima também manifestou o seu alívio por o Governo ter aparentemente voltado atrás na sua intenção de abolir a cláusula de salvaguarda no Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) – o que teria levado a aumentos muito avultados dos impostos pagos por muitos imóveis.

É uma decisão que “satisfaz no momento”: “Não é vitória para ninguém, é só evitar o erro. Seria um erro colossal, devastador para as famílias.”

Diário Digital com Lusa


contato
MAPA DO SITE
facebook contato enderecos facebook contato mapa do site
links rodapé
© Todos os direitos reservados a Pinto Machado - Desenvolvido por Agencia B5