empresa legislaÇÃo informativos facebook portugues espanhol inglês
licks & machado
 

legislao
Aumentam imigrações para o Brasil

 

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em relatório sobre o Censo Demográfico 2010, que o Brasil registrou 268,5 mil imigrantes internacionais, 86,7% a mais do que em 2000, quando foram registrados 143,6 mil imigrantes na mesma situação. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira.

Do total de imigrantes internacionais, 174,6 mil, ou 65,% do total, eram brasileiros e estavam retornando. Em 2000, foram 87,9 mil imigrantes internacionais de retorno, totalizando 61,2% dos imigrantes. Os principais países de origem dos imigrantes foram os Estados Unidos (51,9 mil) e Japão (41,4 mil). O maior percentual de imigrantes de retorno do País, de 46,6%, foi encontrado no Estado do Ceará e o segundo maior, 44,2%, no Rio Grande do Sul.

O IBGE também registrou o aumento na migração de retorno. Segundo o instituto, a migração de retorno contabiliza pessoas que nasceram no Estado em que residiam na data de referência do Censo e que moravam em outra unidade da Federação cinco anos antes. Esse número passou de 22,0% do total de migrantes (1,1 milhão de pessoas) para 24,5% dos migrantes (1,2 milhão de pessoas).

Outros resultados
O IBGE também mediu o índice de mortalidade infantil e de natalidade em 2010. De acordo com a pesquisa, a mortalidade infantil caiu quase pela metade em 10 anos. Os resultados gerais da Amostra do Censo 2010 constatam que o número de óbitos de crianças menores de 1 ano passou de 29,7 para 15,6 mil nascidas vivas, uma queda de 47,6%.

Na medição de natalidade, o instituto concluiu que a fecundidade no Brasil não supera reposição populacional. Isso significa que a população total - descontando-se a imigração - está em tendência de queda, já que o número de pessoas que nasce é menor do que o número de pessoas que morre.

Na área da educação, a pesquisa concluiu que 3,3 % dos jovens de 6 a 14 anos não frequentavam a escola . Segundo o IBGE, com relação à análise por Unidades da Federação, os maiores percentuais ficaram com o Amazonas, Roraima e Acre, seguidos pelo Pará. No outro extremo, o menor percentual desse indicador foi registrado em Santa Catarina.

Uma análise sobre o ensino superior concluiu que mais brasileiros estavam concluindo a faculdade . De acordo com o instituto, houve avanços em todas as grandes regiões

Já no mercado de trabalho, a conclusão foi de que um em cada 3 trabalhadores ganhava até 1 salário mínimo em 2010. De acordo com o IBGE, 32,7% das pessoas ocupadas no País ganhavam até um salário mínimo. Na outra ponta, 3,1% dos trabalhadores recebiam mais de 10 salários mínimos.


contato
MAPA DO SITE
facebook contato enderecos facebook contato mapa do site
links rodapé
© Todos os direitos reservados a Pinto Machado - Desenvolvido por Agencia B5