empresa legislaÇÃo informativos facebook portugues espanhol inglês
licks & machado
 

legislao
Relações econômicas Luso-brasileiras inspiram novos doutores

 

 

Relações econômicas Luso-brasileiras inspiram novos doutores

No espaço de um mês foram apresentadas em Lisboa duas teses de doutoramento sobre o investimento bilateral entre Portugal e Brasil. Um novo fôlego para as universidades?

Lisboa - O fluxo de investimentos entre Portugal e Brasil pode variar de ano para ano, mas a consolidação dessas relações económicas nos últimos anos tem provocado um interesse crescente no meio académico pelo estudo do relacionamento luso-brasileiro. Cristiano Cechella, brasileiro que agora concluiu um doutoramento em Lisboa, lembra, em conversa com o Portugal Digital que "até 2002 pouco se falava de investimento do Brasil em Portugal", situação que mudou desde então.

Cristiano Cechella, filho de mãe açoriana e pai italiano, é natural do Rio Grande do Sul, mas foi na Universidade Cândido Mendes, no Rio de Janeiro, que se especializou, com um mestrado em Economia Empresarial. A dissertação para esse curso, feito entre 2000 e 2003, foi sobre o investimento de Portugal no Brasil.

Depois Cristiano considerou necessário aprofundar o estudo do relacionamento económico luso-brasileiro do ponto de vista inverso. Em 2003 iniciou em Lisboa, no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), um doutoramento em Economia, finalizado com a dissertação "Os países emergentes com investidores internacionais, o caso das empresas brasileiras em Portugal".

Na tese, orientada por Joaquim Ramos Silva, Cristiano Cechella analisou a evolução e o perfil dos investimentos brasileiros em Portugal.

As trocas comerciais entre os dois países têm vindo a ser objecto de estudo também de outros investigadores. É o caso de Tito Ferreira de Carvalho, reitor da Universidade Lusófona de Cabo Verde, que em dezembro último apresentou uma tese de doutoramento intitulada "O investimento português no Brasil e os desafios do futuro".

O professor da Universidade Lusófona, agora com o grau de doutor, acredita que poderá avançar com a publicação, em livro, do estudo realizado sobre as apostas empresariais portuguesas no mercado brasileiro. Porém, disse Tito de Carvalho ao Portugal Digital, não está ainda definida uma data para a publicação da tese.

Da mesma forma, Cristiano Cechella vê com bons olhos a eventual edição em livro do seu trabalho, onde junta um enquadramento macro-económico à evolução do Brasil nas últimas décadas com uma análise de vários casos de empresas brasileiras que apostaram em Portugal. Para já, satisfeito com a aprovação da sua dissertação, ao fim de seis anos de doutoramento, Cristiano agradece o apoio dado pela Embaixada do Brasil em Portugal no estabelecimento de contactos com as empresas brasileiras.

Cristiano Cechella destaca que a afinidade cultural foi um factor decisivo para a generalidade das empresas brasileiras que apostaram em Portugal.

"As grandes empresas vêem Portugal como um centro estratégico, porque está entre o Norte da Europa, os Estados Unidos da América e África", assinala o investigador. "Algumas empresas, como o Itaú, gerenciam a actividade, a partir de Portugal, sobre vários países", acrescenta.

"Mas nas pequenas empresas a parte da língua é mais importante. Elas não têm como avançar tão depressa", lembra Cristiano Cechella.

E pressa é o que Cristiano não tem neste momento. A decisão do seu futuro profissional ficará em suspenso por, pelo menos, um mês, para um descanso após os seis anos do doutoramento. Quanto a Tito Ferreira de Carvalho, continuará dividido entre Portugal e Cabo Verde, na promoção dos intercâmbios da lusofonia. Os dois com uma inspiração comum: o reforço das relações económicas luso-brasileiras.


Fonte: Portugal Digital


contato
MAPA DO SITE
facebook contato enderecos facebook contato mapa do site
links rodapé
© Todos os direitos reservados a Pinto Machado - Desenvolvido por Agencia B5